Em uma semana foram confirmados mais 33 casos de dengue; cidade está em estado de alerta

Saúde
    11 de junho

A Seção de Controle de Vetores da Secretaria de Saúde de Porto Ferreira divulgou novos dados atualizados da dengue nesta terça-feira (11/06). Em uma semana foram confirmados mais 33 casos da doença. Assim, o número total de registros em 2019 subiu para 195, sendo que 105 suspeitas ainda aguardam resultados de exames.

Esta quantidade de casos confirmados faz com que o município fique em estado de alerta para a doença. Segundo a Secretaria de Saúde, o município só atinge o estado de epidemia se eventualmente chegar aos 350 casos.

De acordo com os dados, do total de 607 suspeitas registradas desde janeiro, 307 foram negativadas.

A Seção de Controle de Vetores alerta que a colaboração da população é fundamental para barrar o avanço da doença, tomando cuidados em relação ao mosquito Aedes aegypti, transmissor não só da dengue, mas também da chikungunya, zika e febre amarela.

Os agentes recolheram muitos materiais que servem de criadouros nas últimas semanas, contando até com a ajuda de caminhões da Secretaria de Infraestrutura, Obras e Meio Ambiente. No entanto, mesmo após a limpeza de algumas áreas, em poucos dias os locais novamente apresentam depósito de lixo e entulhos, de forma irregular.

Importante ressaltar que o mosquito continua agindo mesmo com o clima mais frio. Portanto, todos devem colaborar e eliminar a água parada e os possíveis criadouros.

Estudos científicos recentes alertam que o mosquito transmissor está se adaptando às condições climáticas adversas, como a estiagem e o frio. A dengue, que tinha picos de transmissão apenas no período de chuva e calor, agora tem praticamente transmissão contínua, sem interrupção nos períodos de seca e frio, diferentemente do que acontecia antes.

O método mais eficiente de combate ao mosquito continua sendo a eliminação dos criadouros. Se não tiver criadouro, se não tiver água parada, não tem mosquito. A população é parte importante nas ações de combate, já que em algumas localidades cerca de 80% dos criadouros estão dentro das residências. Um único foco em uma casa pode comprometer o combate à dengue no bairro todo.


Cléber Fabbri – MTb 30.118

Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos

clique na foto para ampliar